China teve 90% dos registros de defensivos em 2019



270 são de Produtos Técnicos Equivalentes, também conhecidos como produtos "genéricos".

Dos 475 registros de defensivos agrícolas aprovados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no ano passada, nada menos que 90 por cento foram obtidos por fabricantes chineses. É o que informa o especialista Flavio Hirata, engenheiro agrônomo pela ESALQ/USP e sócio da AllierBrasil Consulting, em artigo publicado na seção Colunistas do Agrolink nesta sexta-feira (17.07).

Ele relembra que 2019 foi o ano que marcou o “recorde de aprovações de registro de produtos agroquímicos no Brasil. Foram 475 registros aprovados pelo Ministério da Agricultura. Dentre estes, 270 são registros de Produtos Técnicos Equivalentes, também conhecidos como produtos genéricos”.

“A China é de longe o maior fornecedor de pesticidas para o Brasil, se levado em conta o número de fabricantes chineses que constam nos registros de Produtos Técnicos Equivalentes aprovados” no ano passado, afirma o engenheiro agrônomo.

De acordo com levantamento realizado pela AllierBrasil Consulting, os fabricantes chineses representam “89,4% dos fabricantes que aparecem nos registros dos produtos técnicos equivalentes (278 vezes). A Índia, também tradicional fabricante de agroquímicos, vem em segundo lugar com 7,1% (22 vezes), seguida por Taiwan e Japão, com 1,6% (5 vezes) e 0,6% (2 vezes), respectivamente. Em 9 registros aprovados há fabricantes de dois países no mesmo registro”.

Fonte: AgroLink